Sincofarma SP

Pesquisar
Close this search box.

Associado

Menu

 
 

ASSOCIE-SE:

Comerciante pode entregar pilhas e baterias portáteis pós-consumo, recebidas dos consumidores, na sede do Sincofarma/SP

Compartilhe:

Facebook
LinkedIn
WhatsApp

2017-11-17 17:00:08

 

São Paulo, 17 de novembro de 2017 – O Sincofarma/SP é, agora, um ponto de entrega secundário para o descarte de pilhas e baterias portáteis, recolhidas pelo comércio. Assim, sindicatos e comerciantes participam da logística reversa, evitando riscos à saúde e promovendo a preservação do meio ambiente.

Para participar, os comerciantes devem aderir ao Termo de Compromisso por meio da plataforma da FecomercioSP, lançada em junho e totalmente dedicada ao tema, no link http://www.fecomercio.com.br/projeto-especial/logistica-reversa/pilhas-e-baterias-portateis/comerciante.

O comerciante de pilhas e baterias portáteis (ponto de entrega primário) pode descartar quantidades de até 10 kg no Sindicato. A partir daí uma empresa especializada fará a retirada desses produtos e promoverá a destinação final ambientalmente adequada.

Vale lembrar que a Logística Reversa é uma obrigação para os estabelecimentos de todo o País que comercializam pilhas e baterias portáteis, de acordo com a Resolução Conama 401/2008.

O Sincofarma/SP está localizado na rua: Santa Isabel, 160 – 6° Andar Vila Buarque – São Paulo – SP. O horário de atendimento é das 8h30 às 17h30, de segunda a sexta-feira.

Dúvidas podem ser enviadas para o e-mail logisticareversa@fecomercio.com.br ou para o administracao@sincofarma.org.br

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) é a principal entidade sindical paulista dos setores de comércio e serviços. Congrega 154 sindicatos patronais e administra, no Estado, o Serviço Social do Comércio (Sesc) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). A Entidade representa um segmento da economia que mobiliza mais de 1,8 milhão de atividades empresariais de todos os portes. Esse universo responde por cerca de 30% do PIB paulista – e quase 10% do PIB brasileiro -, gerando em torno de 10 milhões de empregos.