Sincofarma SP

Pesquisar
Close this search box.
Sincofarma SP

Associado

Menu

 
 

ASSOCIE-SE:

Vendas de medicamentos genéricos crescem 3,67% no primeiro semestre

Compartilhe:

Facebook
LinkedIn
WhatsApp

Apesar da indústria farmacêutica recuar 0,65%, vendas de medicamentos genéricos crescem

Principal instrumento de acesso a medicamentos no país, os genéricos, com base nos indicadores do primeiro semestre, seguem se mantendo no posto de segmento que mais cresce na indústria farmacêutica brasileira.

 

Levantamento produzido pela Associação Brasileira das Indústrias de Medicamentos Genéricos, a PróGenéricos, demonstra que as vendas destes produtos cresceram 3,67% nos primeiros seis meses de 2023, em relação ao desempenho apresentado no mesmo período do ano passado.

Os dados compilados pela PróGenéricos foram extraídos da base do IQVIA, instituto que é referência global no monitoramento dos indicadores da indústria. Entre janeiro e junho de 2023 foram comercializadas 979,4 milhões de unidades de medicamentos genéricos frente 944,7 milhões no mesmo período do ano anterior.

 

As vendas de genéricos da indústria para o varejo movimentaram 8,8 bilhões de reais no primeiro semestre deste ano, o que representa um desempenho 16,5% superior ao verificado no mesmo período de 2022, quando registraram 7,5 bilhões de reais.

 

Leia também: Medicamentos inovadores são pré-requisito para genéricos e biossimilares no Brasil

 

“Os genéricos seguem apresentando um crescimento ininterrupto, desde que chegou ao mercado, em 1999. E o segmento continua contribuindo a modernização e expansão dos negócios de diversas empresas que ampliaram sua atuação, marcando presença em segmentos inovadores e de maior complexidade como é o caso dos biossimilares”, afirma o presidente executivo da PróGenéricos, Tiago de Moraes Vicente.

 

Ao comparar o desempenho dos genéricos em relação ao mercado total no período, verifica-se que os genéricos cresceram 3,7% e o restante da indústria apresentou retração de 0,65% em unidades comercializadas. Ao se excluir os genéricos, a performance do restante do mercado foi de queda de 2,97%.

 

Participação de mercado

 

market share do segmento segue evoluindo com consistência. A participação dos genéricos nas vendas totais do setor atingiram a marca inédita de 36,6% das vendas em unidades no primeiro semestre.

 

Mesmo em um cenário de crescimento apertado das vendas da indústria nos últimos meses, a participação dos genéricos no mercado total de medicamentos apresentou um salto de três pontos percentuais quando observamos a fatia do segmento no mesmo período de 2019, que era de 33,6%.

 

Ao observarmos a participação do segmento em mercados específicos como os de medicamentos de uso crônico, os números são ainda mais surpreendentes.

 

Os genéricos detém 74% de participação nas vendas de medicamentos para hipertensão, 80,7% entre os produtos para colesterol e 27,6% entre os medicamentos para o controle da diabetes.

 

Paciente busca economia

A economia gerada pelos genéricos aos pacientes que optaram pela compra de produtos da categoria, por sua vez, cravou a marca de 19,6 bilhões de reais entre janeiro a junho deste ano, uma evolução de 14,15% em relação à ao primeiro semestre do ano passado, que foi de 17.2 bilhões.

“Estes números validam e certificam os genéricos não apenas como um negócio que deu certo, mas como política pública de acesso bem-sucedida”, destaca Vicente. Desde que chegaram ao mercado, em 1999, os genéricos já proporcionaram uma economia total de 260 bilhões de reais.

Com preços no mínimo 35% mais baratos que os produtos de referência, de acordo com a legislação que regula o mercado, os genéricos podem custar até 60% mais em conta, a depender das negociações comerciais entre indústria e varejo.

Perspectivas

Para a PróGenéricos. O setor deve fechar o ano com crescimento de 7% a 8% em unidades comercializadas em relação ao resultado de 2022. “Se houver uma melhora no ambiente econômico mais intensa do que a prevista, podemos avançar ainda mais”, avalia Vicente.

 

 

Fonte: Guia da Farmácia

Foto: Reprodução

Chiesi introduz bulas digitais em medicamentos da marca

A biofarmacêutica de origem italiana Chiesi anunciou o lançamento de uma página inteiramente dedicada às bulas digitais. A companhia, especializada em soluções terapêuticas de saúde respiratória e doenças raras, investiu em iniciativas para reforçar inclusão e acessibilidade do grupo.

IA da Panvel facilita atendimento nas farmácias

Criada recentemente, a IA da Panvel começou a ser utilizada em cinco farmácias da rede em abril e já está presente em 400 lojas. O Serviço de Orientação Farmacêutica com Inteligência Artificial foi batizado como Sofia, e desenvolvido a partir dos modelos generativos ChatGPT, da OpenAI e Claude, da Anthropic.