Sincofarma SP

Pesquisar
Close this search box.

Associado

Menu

 
 

ASSOCIE-SE:

74% dos cariocas aprovam vacinação em farmácia

Compartilhe:

Facebook
LinkedIn
WhatsApp

2017-08-24 13:00:08

 

Uma recente pesquisa encomendada pela Ascoferj mostrou que 74% dos cariocas utilizariam os serviços de vacinação, caso fossem oferecidos por farmácias e drogarias da cidade. E que 51% estariam até mesmo dispostos a pagar pelo serviço. A vacinação nos estabelecimentos farmacêuticos do município do Rio de Janeiro foi autorizada pela Lei Complementar 167/2016, mas, desde então, aguarda regulamentação por parte da Secretaria Municipal de Saúde.

A farmácia, desde 2014, tem sido reconhecida por lei como um estabelecimento de saúde. Essa definição facilita o avanço dos serviços prestados nesses locais. Para o presidente da Ascoferj, Luis Carlos Marins, o resultado dessa pesquisa não é uma surpresa, tendo em vista a carência da população no âmbito da saúde. “O serviço de vacinação em farmácias e drogarias beneficia os consumidores em vários sentidos: de acesso, devido à capilaridade dos estabelecimentos, e econômico, pois temos a certeza de que o valor da vacina será mais baixo do que o cobrado nas clínicas”, avalia Marins.

Segundo Marins, o setor não quer nenhum privilégio para si e nem todos os estabelecimentos farmacêuticos vão disponibilizar as vacinas. “Acredito que apenas as farmácias localizadas em pontos estratégicos e dispostas a se adequarem às normas sanitárias para vacinação passarão a oferecer o serviço”, acrescenta o presidente da entidade.

Os dados sobre vacinação fazem parte de um estudo conduzido pela Fórmula Consultoria Farmacêutica, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a pedido da Ascoferj. Os pesquisadores investigaram o grau de interesse dos cariocas na utilização dos serviços que podem ser prestados por farmacêuticos. O objetivo da pesquisa foi verificar se as pessoas estariam dispostas a utilizar e a pagar por eles.

Mais de dez bairros foram pesquisados, entre eles, Ipanema, Catete, Botafogo, Centro, Lapa, Campo Grande, Taquara, Barra da Tijuca, Portuguesa (Ilha do Governador), Madureira e Tijuca. A maioria dos entrevistados é do sexo feminino e se encontra na faixa etária entre 30 e 50 anos, com ensino médio e curso superior completo. Mais da metade das pessoas entrevistadas possuem crianças entre 0 a 10 anos na família. Importante notar que 33% delas vão às farmácias toda semana.

De acordo com os resultados da pesquisa, 54% dos entrevistados reconhecem a figura do farmacêutico e 74% já pediram auxílio a ele, ao menos, uma vez, avaliando que o atendimento foi útil. Além disso, 74% utilizariam o serviço de acompanhamento e orientação sobre o uso de medicamentos, mas apenas 30% pagariam por ele.

O estudo trouxe outros dados, entre eles, que 75% dos cariocas utilizaram o serviço de aferição de pressão arterial, mas apenas 43% pagariam por ele. O serviço de aplicação de injetáveis foi o que mais despertou interesse nos entrevistados: 79% utilizariam esse serviço e 66% pagariam por ele. Atualmente, a aplicação de injeção é um dos serviços mais procurados em farmácias e drogarias do Rio.

 

Aplicação de vacinas, o (a) Sr. (a) utilizaria?

74% – Sim

23% – Não

2% – Talvez

 

Aplicação de vacinas, o (a) Sr. (a) pagaria?

51% – Sim

18% – Não

12% – Talvez

 

——————————————–

Verificação de pressão, o (a) Sr. (a) utilizaria?

75% – Sim

20% – Não

5% – Talvez

 

Verificação de pressão, o (a) Sr. (a) pagaria?

43% – Sim

26% – Não

16% – Talvez

 

——————————————————-

 

Aplicação de medicamentos injetáveis, o (a) Sr. (a) utilizaria?

79% – Sim

18% – Não

3% – Talvez

 

Aplicação de medicamentos injetáveis, o (a) Sr. (a) pagaria?

66% – Sim

6% – Não

8% – Talvez

 

—————————————————

 

Realizar curativos de pequeno porte, o (a) Sr. (a) utilizaria?

64% – Sim

31% – Não

5% – Talvez

 

Realizar curativos de pequeno porte, o (a) Sr. (a) pagaria?

46% – Sim

19% – Não

14% – Talvez