Sincofarma SP

Pesquisar
Close this search box.
Sincofarma SP

Associado

Menu

 
 

ASSOCIE-SE:

Doença inflamatória intestinal na infância aumenta o risco de câncer

Compartilhe:

Facebook
LinkedIn
WhatsApp

2017-10-25 12:00:08

 

23 de outubro de 2017 (Bibliomed). As crianças com doença inflamatória intestinal (DII) enfrentam um risco aumentado de câncer que persiste na idade adulta, estando especialmente elevado para o câncer gastrointestinal, de acordo com um estudo publicado na revista BMJ.

Pediatras do Instituto Karolinska, em Estocolmo, na Suécia, compararam 9.405 pacientes na Suécia que foram diagnosticados com DII antes dos 18 anos de idade a um grupo controle de 92.870 pessoas sem DII.

O risco de câncer até uma idade média de 30 anos foi de 3,3 casos por 1.000 anos-pessoa entre aqueles com DII. Isso em comparação com 1,5 casos por 1.000 anos-pessoa no grupo controle. O risco de câncer aumentou no primeiro ano após o diagnóstico de DII e manteve-se alto além de cinco anos de seguimento, especialmente para câncer gastrointestinal, como no cólon, intestino delgado e fígado. Doença hepática crônica, colite prolongada e história familiar de câncer inicial foram fatores de risco para qualquer câncer em indivíduos diagnosticados com DII como crianças.

Os dados mostram que os pacientes com DII de início da infância têm um risco aumentado de câncer, especialmente câncer gastrointestinal, neoplasias linfoides e câncer de pele, tanto na infância quanto mais tarde na vida.

Chiesi introduz bulas digitais em medicamentos da marca

A biofarmacêutica de origem italiana Chiesi anunciou o lançamento de uma página inteiramente dedicada às bulas digitais. A companhia, especializada em soluções terapêuticas de saúde respiratória e doenças raras, investiu em iniciativas para reforçar inclusão e acessibilidade do grupo.

IA da Panvel facilita atendimento nas farmácias

Criada recentemente, a IA da Panvel começou a ser utilizada em cinco farmácias da rede em abril e já está presente em 400 lojas. O Serviço de Orientação Farmacêutica com Inteligência Artificial foi batizado como Sofia, e desenvolvido a partir dos modelos generativos ChatGPT, da OpenAI e Claude, da Anthropic.