Sincofarma SP

Pesquisar
Close this search box.

Associado

Menu

 
 

ASSOCIE-SE:

Impressa para QR Code: Anvisa abre consulta por mudança na bula

Bula Impressa para QR Code

Compartilhe:

Facebook
LinkedIn
WhatsApp

Bula Impressa para QR Code – Medida serve para medicamentos que não precisam de prescrição médica, fitoterápicos e consumidos no dia a dia em cartelas fracionadas.

 

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) abriu nesta quarta-feira, 13, uma consulta pública que abre caminho para a dispensa de bulas impressas nas embalagens de certos medicamentos. A consulta irá receber contribuições de qualquer um interessado pelo tema por noventa dias, a partir de 20/12.

 

A proposta é que seja incluído nas embalagens de medicamentos um código de barras bidimensional (QR Code) para leitura rápida. No início de dezembro, a Diretoria Colegiada da Anvisa aprovou por unanimidade a abertura de consulta pública sobre o tema.

 

Leia também: Anvisa torna medicamento para Parkinson da Fiocruz referência no Brasil

 

A medida está prevista na Lei da Bula Digital, aprovada em 2022. Além de direcionar o usuário para a bula digital do medicamento, o link também permitirá o acesso a informações adicionais, como vídeos e outras instruções que ajudem no uso adequado do remédio, promovendo uma abordagem mais abrangente para o uso responsável de fármacos.

 

Entretanto, são apenas quatro tipos de remédios que foram liberados pela Anvisa para terem as bulas digitais:

  • Remédios que não precisam de prescrição médica;
  • Remédios que precisam de prescrição, mas que não são vendidos em farmácias;
  • Remédios vendidos em cartela ou de outra forma fracionada;
  • Remédios notificados pela Anvisa e demais produtos fitoterápicos.

 

Bula Impressa para QR Code
Bula Impressa para QR Code

 

Isso significa que apenas aqueles remédios que as pessoas compram diretamente na farmácia no dia a dia, como a dipirona ou aspirina, não vão precisar ter a bula impressa. Também os produtos naturais vendidos como suplementos para melhorar a saúde das pessoas, chamados de fitoterápicos.

 

“Para acessar a consulta pública, clique aqui,  leia a proposta, preencha o formulário com campos de identificação e envie suas contribuições”, explica o órgão.  Uma vez aprovada, a decisão será divulgada no Diário Oficial da União.

 

Voto contrário

O Instituto de Defesa ao Consumidor (Idec) se mostrou contra o uso das bulas digitais, sem a versão impressa. O entendimento do órgão é que “em um cenário de baixo acesso à internet pela população, continua sendo essencial para consumidores se informarem e uma ferramenta importante para o uso racional de medicamentos.”

 

 

Foto: Reprodução
Fonte: Veja
Bula Impressa para QR Code