Sincofarma SP

Pesquisar
Close this search box.

Associado

Menu

 
 

ASSOCIE-SE:

Adoçantes também são prejudiciais à saúde!

Açúcar

Compartilhe:

Facebook
LinkedIn
WhatsApp

O açúcar está entre os insumos mais apreciados e consumidos em todo o mundo, estando presente não somente nos alimentos, mas até mesmo em muitos medicamentos.

 

Açúcar é sinônimo de energia e tem sabor agradável, mas seu consumo, quando exagerado, pode trazer problemas de saúde, tais como obesidade e diabetes. Em determinadas circunstâncias, mesmo sem ser utilizado exageradamente, também pode trazer consequências ruins.

 

A história registra que no distante século VIII, antes de Cristo, os chineses já cultivavam a cana-de-açúcar com finalidade alimentícia. Desde então, vários ciclos foram observados para este produto, considerado tão valioso quanto o ouro em épocas não tão longínquas.

 

Leia também: O que acontece quando se para de tomar Ozempic?

 

Mais do que adoçar as nossas vidas, do ponto vista metabólico, o açúcar é muito importante para o nosso organismo, sendo assim, podemos quem sabe, fazer uma analogia entre o açúcar e o sal, elementos fundamentais para a saúde humana. Entretanto, assim como o excesso de sal traz males, o açúcar quando consumido fora dos padrões recomendados também poderá prejudicar a homeostase e provocar doenças.

 

Como uma forma de oferecer opções quanto ao uso do açúcar, surgiram os adoçantes.

 

Em primeiro lugar, uma informação! A grande maioria dos adoçantes foram descobertos por acaso e não como consequência de um estudo que visava encontrar substitutos para o açúcar. É justamente esta questão do acaso, ou da forma pela qual os adoçantes surgiram, que traz algumas dúvidas quanto a estas substâncias serem ou não saudáveis.

 

O primeiro adoçante, a Sacarina, do latim “saccharum” (açúcar), é na verdade a Sulfanilamida de Ácido Benzoico e foi descoberta em 1879 graças aos farmacêuticos Constantine Fahlberg e Ira Remsen, que trabalhavam em uma pesquisa para buscar novas tintas a partir de derivados do petróleo. É isso mesmo, o primeiro adoçante surgiu de uma pesquisa de tintas.

 

Até aí, tudo bem, pesquisa, farmacêuticos…, mas acontece que um deles não lavou as mãos e ao colocar o tal produto que seria uma tinta viu que o gosto era extremamente doce, sim, a Sacarina surgiu devido aos pesquisadores não lavarem as mãos! Foi lançada como adoçante oficialmente em 1897.

 

O Ciclamato e o Aspartame também surgiram por acaso, em pesquisas envolvendo medicamentos para febre e úlceras gástricas! Já a Sucralose (fusão de uma frutose com uma molécula de galactose), é um adoçante organoclorado sintético (OC) que é um ingrediente comum no abastecimento alimentar mundial. Em ratos, foi demonstrado que a ingestão de sucralose interfere na desintoxicação pré-sistêmica envolvida no metabolismo de drogas de primeira passagem. O efeito da sucralose no metabolismo de primeira passagem de medicamentos em humanos, entretanto, ainda não foi determinado. Também em ratos, a sucralose altera a composição microbiana do trato gastrointestinal (TGI), com redução relativamente maior de bactérias benéficas. Isso não é nada bom! Lembremos da Disbiose intestinal e seus danos inclusive no sistema nervoso.

 

Açúcar
Açúcar

 

Estudos recentes feitos com animais de laboratório que ingeriram Sucralose, demonstraram aumento do risco de desenvolvimento de Leucemia. Uma questão que pode explicar os riscos da Sucralose, é o fato dela ser adicionada a bebidas quentes, como o café, chá, leite etc. Em temperaturas mais elevadas, pode ficar mais instável quimicamente e liberar substâncias tóxicas que se acumulam no organismo. Segundo pesquisadores da UNICAMP, a Sucralose, se adicionada em alimentos que vão ao forno, como bolos e doces, pode ser altamente tóxica. Há também o fato de que a Sucralose é um organoclorado sintético, a exemplo dos pesticidas, e isso traz enorme preocupação quanto ao seu uso em humanos e possível relação com mutagenicidade, por exemplo.

 

Em maio de 2023 a Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou um alerta desaconselhando o uso de adoçantes como estratégia para perder peso. Neste comunicado a OMS afirma que usar adoçantes podem aumentar o risco de diabetes tipo 2, doenças cardiovasculares e morte prematura em adultos. Isso é bem sério se pensarmos que muita gente acredita que os adoçantes possam trazer mais saúde e/ou reduzir riscos de doenças.

 

Um estudo recente, feito na França, que contou com mais de 103 mil participantes, mostrou que após 9 anos de uso de adoçantes, houve aumento de quase 10% de risco de eventos cardio e cerebrovasculares.

 

Também recentemente, um estudo da Plos Medicine mostrou que pessoas que usam adoçantes em excesso, tem 13% de chance a mais de desenvolver algum tipo de câncer. Este estudo coloca o Aspartame e Acessulfame de potássio como grandes vilões. O aspartame pode aumentar em 22% o risco de câncer de mama.

 

Cuide de sua saúde, esteja atento à sua real necessidade de usar adoçantes, oriente-se com um especialista (médico, nutricionista ou farmacêutico) quanto aos riscos e benefícios!

 

 

Foto: Freepik
Fonte:
Gustavo Alves Andrade dos Santos

Farmacêutico, Doutor em Biotecnologia

Professor na Faculdade de Medicina São Leopoldo MANDIC de Araras

Coordenador do grupo de Cuidado farmacêutico ao Idoso do Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo.

Twitter: @gustavofarmacia

Instagram: @gusfarma   Email: gusfarma@hotmail.com

Açúcar