Sincofarma SP

Pesquisar
Close this search box.

Associado

Menu

 
 

ASSOCIE-SE:

Vitaminas na gravidez: O que, quando e como tomar

Compartilhe:

Facebook
LinkedIn
WhatsApp

A gestação – todos sabem – é uma experiência marcante na vida da mulher, que exige a adoção de uma série de cuidados. Um deles – o consumo de vitaminas e suplementos essenciais nesse período – nem sempre é seguido como se deve. Aqui, um roteiro prático de vitaminas e nutrientes na gravidez – tendo as farmácias como fonte essencial

São um raro caso em que, além de prevenir deficiências nutricionais da mãe, beneficiam indiretamente outro paciente em desenvolvimento – claro, o bebê. Daí a necessidade de seguir um roteiro já consagrado pela obstetrícia.

 

Vitaminas para gestantes: o que elas podem fazer?


Bastaria uma forma de prevenção para justificar o consumo de vitaminas nesse período. Que tal evitar a anemia? Nesse caso, a principal causa é a deficiência de ferro – geralmente decorrente da má alimentação durante essa fase. Segundo o IBGE, 30% das brasileiras adultas consomem menos ferro do que deveriam. Nas gestantes, esse número é mais dramático. De acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), 40% das mulheres grávidas são afetadas pela anemia. Resumidamente, minerais e demais nutrientes vitamínicos são essenciais para garantir qualidade de vida e bem-estar à mulher ao longo da vida – e sobretudo durante a gestação, pois há outro ser envolvido nesse metabolismo. Aliás, a demanda por nutrientes e vitaminas aumenta de acordo com o tempo de gestação – daí a necessidade da prescrição adequada, na frequência e nas doses recomendadas. O resultado: uma gravidez de menor risco e um ambiente orgânico saudável para o bebê. Importante ressaltar que, em tese, as vitaminas gestacionais podem ser obtidas mediante alimentação equilibrada. Mas não é raro encontrar grávidas que não conseguem atingir as recomendações diárias apenas por essa via – aí entram as farmácias como aliadas da mulher nesse nobre período. Lembrando: suplementos podem ser adquiridos sem prescrição, mas só devem ser adotados durante a gravidez depois da devida recomendação médica.

 

 

Os principais suplementos – minerais e vitaminas – na gravidez

Vitamina B9
Mais conhecida como ácido fólico, é uma das vitaminas mais importantes na vida da gestante – tanto que, se o casal ainda estiver planejando um bebê, a recomendação é que a suplementação seja feita antes mesmo da gestação – três meses, aproximadamente – e seguida até o término.  A Vitamina B9 é fundamental para o desenvolvimento adequado do bebê, pois atua diretamente na formação do chamado “tubo neural”, prevenindo algumas doenças neuronais congênitas, além de colaborar para a expressão genética e promover uma proliferação celular adequada.

 

Leia também: Quais são as complicações da dengue na gravidez?

 

Vitamina B6
Outra vitamina fundamental é a piridoxina – ou Vitamina B6, que atua no desenvolvimento do sistema nervoso e, inclusive, nas células do sangue (glóbulos vermelhos). Uma curiosidade sobre essa vitamina: ela também é bastante indicada pelos médicos no caso de enjoos recorrentes durante a gestação.

Vitamina D
Considerada, na verdade, como um hormônio, a Vitamina D atua de forma ativa em diversas funções desempenhadas pelo organismo da gestante. Uma delas seria reduzir os riscos da instalação de quadros de diabetes gestacional e de pré-eclâmpsia. Além disso, o raquitismo, o nascimento prematuro e até mesmo o autismo podem ter suas chances de desenvolvimento reduzidas quando as taxas de vitamina D estão adequadas nas gestantes.

Importante: a Vitamina D pode ser encontrada naturalmente em alimentos como ovos, sardinha, atum e óleo de fígado de bacalhau – e também obtida por meio da exposição adequada aos raios solares, sem a utilização de filtros ou bloqueadores solares. Nesse sentido, o ideal é que a gestante fique exposta ao sol, todos os dias, por pelo menos 15 minutos.

Vitamina A
Na mãe, contribui para uma prevenção adequada de possíveis infecções, atuando no aumento da imunidade. No bebê, por sua vez, a Vitamina A é capaz de propiciar o desenvolvimento mais adequado de células do organismo – sobretudo nos olhos, pulmões e coração. Desnecessário reforçar: o médico deve ser consultado antes de qualquer suplementação. Uma “superdose” involuntária pode acabar fazendo o efeito contrário do seu objetivo. Resumindo: as consultas do pré-natal são o melhor momento para que a gestante consiga tirar todas as suas dúvidas.

Cálcio
cálcio, sobretudo em conjunto com a vitamina D, contribui para a devida formação dos ossos e dentes do bebê. Sua ação pode ser potencializada com o aumento do consumo de certos alimentos considerados fontes de cálcio, como leite e seus derivados e castanha-do-Pará.

Ferro
O ferro é um dos minerais mais importantes para o organismo humano – é fundamental para a adequada formação das células do sangue que atuam no transporte de oxigênio para os órgãos. A suplementação de ferro, por sua vez, é indicada para evitar possíveis complicações – como a instalação de quadros de anemia. Segundo o Ministério da Saúde, o recomendado é iniciar a suplementação de ferro a partir do momento em que se toma conhecimento da gestação.

Zinco
zinco não pode ficar de fora da lista com as principais vitaminas para gestantes, pois é importante no desenvolvimento adequado da parte neurológica e cognitiva do bebê. Na mãe, por sua vez, esse mineral pode contribuir para que o tempo de cicatrização de algumas eventuais lesões, por exemplo, seja reduzido significativamente.

A União Química, laboratório nacional com 87 anos de atuação no mercado farmacêutico que sempre coloca o paciente em primeiro lugar, tem um dos maiores portfólios do país de suplementos e vitaminas para consumo durante a gestação, com segurança e tranquilidade. Acesse o site da União e conheça o Mega Master, um suplemento alimentar para gestantes que contém 20 nutrientes essenciais para a gestação.

 
Foto: Freepik
Fonte: ABC FARMA