Sincofarma SP

Pesquisar
Close this search box.

Associado

Menu

 
 

ASSOCIE-SE:

Medicamentos que podem e medicamentos que não podem ser utilizados nos casos de Dengue!

Compartilhe:

Facebook
LinkedIn
WhatsApp

O ano de 2024 projeta-se para ser o pior em número de casos de dengue no Brasil, com uma previsão catastrófica de quase 4,2 milhões de casos, o dobro de 2015, até então o período com a marca recorde.

Muito disso deve-se ao pouco cuidado das pessoas ao ignorar e negligenciar os riscos gerados pelo acúmulo de água em locais dentro das próprias residências!

As vacinas estão chegando, e com isso surgem esperanças de se controlar esta doença, mas até que todos estejam imunizados vai levar tempo e as questões pontuais têm sido o diagnóstico e tratamento.

 

 

O diagnóstico pode ser feito por meio de pesquisa do antígeno NS1 já a partir do primeiro dia dos sintomas e na sequência, os exames de IGM e IGG também são importantes.

A grande questão tem sido os medicamentos utilizados para aliviar a febre súbita provocada pela dengue e as dores generalizadas por todo o corpo. Quem já teve dengue sabe como são essas dores! Normalmente as pessoas buscam manter o padrão de uso dos analgésicos de preferência ou podem também ser mal orientadas por pessoas não gabaritados.

 

No tratamento da febre ocasionado pela Dengue, somente 2 medicamentos podem ser utilizados: a Dipirona e o Paracetamol!

 

A Dipirona oferece alta segurança quanto ao seu uso, só sendo contraindicada em casos de hipersensibilidade e para crianças abaixo de 3 meses. Em gestantes, recomenda-se consultar o obstetra para avaliação de cada caso.

 

Leia também: Com o dobro de casos de dengue em relação a 2023, Brasil terá Dia D de combate à doença

 

Já o Paracetamol pode trazer alguns inconvenientes se utilizado em doses acima do preconizado, entretanto mesmo em doses terapêuticas pode não ser uma boa opção em casos de a doença avançar para fase crítica, onde pode ocorrer hepatomegalia e consequente dano hepático.

Em caso de Dengue não usar, em hipótese alguma os seguintes medicamentos: Ácido Acetil salicílico (AAS, Aspirina) (o pior de todos!);  Diclofenaco de sódio, Ibuprofeno, Indometacina, Cetorolaco, Naproxeno, Tenoxicam, Nimesulida, Meloxicam, Piroxicam, Fenilbutazona e qualquer outro medicamento com ação analgésica e antiinflamatória.

Muito cuidado também com o uso de antialérgicos/anti-histamínicos que muitas vezes são usados para aliviar as coceiras, pois eles podem provocar sonolência, que associada à letargia e “sensação de quase desmaio” da dengue, podem trazer risco de quedas em pessoas idosas.

Não usar complexo B, Levedura de Cerveja achando que com isso o mosquito não vai te picar, isso não é verdade e pior, pelas altas dose que têm sido divulgadas para com estes medicamentos, ainda podem acabar provocando intoxicação!

Se o paciente com dengue usa anticoagulantes, precisa conversar com o médico, dado o risco de exacerbação das hemorragias. Pessoas com dengue e que apresentam doenças que causem redução do número de plaquetas, também precisam buscar orientação com o médico, pois cada caso deve ser visto de forma específica.

Na dúvida sore quais medicamentos usar ou não, em suspeita de caso de dengue, na farmácia, procure sempre o farmacêutico!

 

 


TESTES DE DENGUE NAS FARMÁCIAS: QUAIS OS MAIS INDICADOS PARA CADA FASE DA DOENÇA

 

Objetivo

Com o aumento de caso de Dengue no Brasil, cresce a procura de testes nas farmácias. Como o farmacêutico deve detectar cada fase da doença. Informações sobre os três tipos de exame disponíveis no mercado para detectar a dengue.

 

Investimento: GRATUITO

 

PROGRAMA

 
 
 
Fonte: Sincofarma/SP – Gustavo Alves
Foto: Reprodução

 

 

Gustavo Alves Andrade dos Santos
Farmacêutico, Doutor em Biotecnologia
Professor na Faculdade de Medicina São Leopoldo MANDIC de Araras
Coordenador do grupo de Cuidado farmacêutico ao Idoso do Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo.
Twitter: @gustavofarmacia
Instagram: @gusfarma   Email: gusfarma@hotmail.com