Sincofarma SP

Pesquisar
Close this search box.

Associado

Menu

 
 

ASSOCIE-SE:

Intoxicação grave por metanol devido ao consumo de etanol combustível

Compartilhe:

Facebook
LinkedIn
WhatsApp

Confira alerta do Grupo de Trabalho sobre Toxicologia do Conselho Federal de Farmácia

Nos últimos meses, tem-se observado o aumento de casos de intoxicação fatal provocados por metanol notificados por alguns Centros de Informação e Assistência Toxicológica (CIATox) da região sul e sudeste. Esta intoxicação é caracterizada principalmente pela ingestão indevida de etanol proveniente de postos de combustíveis, com a finalidade recreacional.

Neste contexto, o Grupo de Trabalho sobre Toxicologia do Conselho Federal de Farmácia esclarece que a intoxicação pode estar relacionada com a possível adulteração do combustível com metanol, extrapolando o teor permitido de 0,5%, de acordo com a Agência Nacional de Petróleo (ANP), em sua resolução nº 907, de 18 de novembro de 2022, que dispõe sobre as especificações do etanol combustível e suas regras de comercialização em todo o território nacional.

A intoxicação por metanol é perigosa podendo levar a danos graves ou fatais, e pode ocorrer quando há ingestão oral, inalação ou absorção cutânea dessa substância. O seu efeito tóxico está relacionado diretamente com seus produtos de biotransformação (ácido fórmico e formaldeído).

 

Leia também: Anvisa suspende produto para tranças suspeito de provocar intoxicação ocular

 

Os sintomas da intoxicação podem variar, mas geralmente incluem:
  • Quadro típico: leve depressão do sistema nervoso central (SNC), seguida de um período latente de aproximadamente 12 a 24 horas;
  • Após o período latente, segue-se acidose metabólica, disfunção visual e sintomas associados (cefaleia, náusea, vômitos, dor abdominal, dispneia);
  • Bradicardia, choque, coma, persistência da acidose e anúria sugerem mau prognóstico;
  • Morte geralmente resulta de falência respiratória.

Vale ressaltar que o tratamento para intoxicação por metanol é uma emergência clínica e deve ser conduzido por profissionais de saúde em ambiente hospitalar. Os objetivos principais do tratamento incluem interromper a absorção adicional de metanol, corrigir os desequilíbrios químicos no organismo, eliminar o metanol o mais rápido possível e administrar antídotos conforme monitorização laboratorial e decisão clínica.

Em face ao exposto, seguem algumas orientações pertinentes na admissão do paciente:

  • Considerar a possível intoxicação por metanol em casos de ingesta de etanol proveniente de combustível;
  • Considerar que a intoxicação por metanol pode progredir rapidamente para um estado grave ou fatal, não devendo ser subestimada;
  • Diante da suspeita notificar imediatamente o CIATox, que irá auxiliar no diagnóstico, confirmação e tratamento da intoxicação.

A melhor forma de prevenir a intoxicação por metanol é nunca beber líquidos de origem desconhecida ou não destinados ao consumo humano. Em caso de suspeita de intoxicação por metanol, é fundamental procurar atendimento imediatamente. O tratamento precoce pode ajudar a reduzir os danos causados pelo metanol e aumentar as chances de recuperação.

 

Fonte: CFF
Foto: Reprodução